Especial

Maternidade gera oportunidades de negócios inovadores para mamães

Nova fase na vida da mulher tem ajudado muitas a despertar seu potencial empreendedor

Nasce uma mãe e por que não também um empreendimento? Com esse pensamento, muitas mulheres têm encontrado na maternidade caminhos de atuação empresarial, partindo da percepção de oportunidades em nichos de mercado focados em necessidade de outras mães.

 

É o caso da fotógrafa Paloma Barros, 27 anos, de São Luís, para quem o mundo da imagem sempre causou fascínio, principalmente pelas histórias por trás de uma foto. “Tenho paixão por coisas antigas e quando eu pegava os álbuns da minha família, ficava fascinada com as histórias que minha avó contava sobre elas de uma época que eu só podia imaginar”, conta.

 

Dessa paixão, no ensino médio, ao escolher a área de formação, Paloma optou por estudar fotografia. Mudou de cidade, fez cursos de fotografia e cinema, preparando-se para ofício e ganhando gosto pelas artes, direção de fotografia e por tudo o que fizesse ampliar a percepção das coisas que uma imagem passar.

 

E, já na faculdade, começou a atuar como fotógrafa, lá pelo ano de 2014. Em vias de tornar-se mãe, já de volta a São Luís, ela quis fazer um ensaio de gestante e conta que o atendimento foi um ‘tanto frio’. “Eu trabalhava com outros tipos de fotos – esportivas, publicitárias e de eventos e, percebi que esse nicho abrigava uma oportunidade, pensando no quão sensível é uma mãe, que deseja eternizar as memórias daquele momento especial, que é a gestação. Em 2018, então, defini que minha empresa seria voltada para esse ramo e eu me dedicaria a ajudar outras mães a construir memórias de seu bem mais precioso, que é a família.

 

Paloma conta que a maior dificuldade é equilibrar as responsabilidades de mãe com as demandas das clientes e a gestão do tempo. “Às vezes é difícil conciliar a rotina, ajustar as tarefas da empresa com os horários da  família. O segredo é equilibrar as duas coisas e procurar, no tempo de cada um, dar o melhor de si, focar no melhor resultado, procurando se ajustar a cada momento”, reflete ela.

 

Nessa trajetória de aprendizado, ela destaca o apoio do Sebrae, por meio do Projeto Delas Sebrae Mulher de Negócios. “O Sebrae ajudou muito na minha caminhada como empreendedora. Participando do Delas, tive acesso a workshops, consultoria, palestras, atividades de networking e convivência com outras empreendedoras. Isso abriu a minha mente e me trouxe aprendizados que me permitiram ir fazendo ajustes na empresa, aos poucos, na área administrativa, implementando um planejamento mais estratégico e de organização financeira, que estão fazendo a diferença no negócio.

 

Se há um recado a dar para as mães que empreendem é que “persistam, sabendo onde querem chegar”, pontua Paloma. “As únicas defensoras dos nossos sonhos, somos nós mesmas. Somos donas de nossas histórias e podemos mudar a nossa realidade e até a realidade de outras pessoas, empreendendo e nos reconhecendo como protagonistas e como pessoas preparadas para conquistar cada vez mais espaços”,  afirma ela, emocionada.

 

Quando a injustiça se torna combustível para empreender

Para Joyce Garcia, de Pinheiro/MA, a decisão de empreender também veio da maternidade. Mas o encorajamento veio de uma realidade injusta muito comum na vida das mulheres: a demissão após o nascimento dos filhos. Hoje, ela é dona da Ótica Mundo dos Óculos, localizada na Baixada Maranhense.

 

Para Joyce, mesmo não sendo fácil, valeu a pena! Ser mãe e empreendedora ao mesmo tempo exige muito no dia a dia. Mas ela garante que dá certo. “Mesmo após um dia cansativo à frente do negócio e, ao chegar em casa, ainda ter as tarefas que a maternidade impõe, é gratificante ser mãe e empresária. A força de vontade é algo primordial para equilibrar esses dois papéis”, analisa a empreendedora.

 

Em meio à pandemia, com o empreendimento em fase inicial, ela viveu momentos preocupantes e conta que no Sebrae encontrou o suporte necessário para superar as adversidades, tendo acompanhamento, dicas e visitas dos consultores na loja quando possível, além das inúmeras ideias inteligentes que recebeu por meio das consultorias online.

 

A empresária teve a oportunidade de participar da ação do Liquida Bazar que permitiu alavancar o negócio com boas vendas. Para ela, contar com esse apoio em momentos críticos é fundamental. E recomenda: empreendedor iniciante, deve se planejar, buscar ajuda e estar pronto para trabalhar muito.

 

“O Sebrae é incentivador e nos oferece uma grande bagagem de conhecimento em todas as fases do nosso negócio. Então, se eu puder dizer algo a quem está começando, é que busque instituições como o Sebrae, que possam ajudar o empreendedor a se preparar desde os primeiros passos. As consultorias, por exemplo, me deram diversas ideias, que adotei na minha empresa e valem por mil, são muito proveitosas. Esse acompanhamento  ajuda muito a equilibrar os papeis de mãe e empreendedora”, enfatizou a empresária.

 

“Desempenhar essas dois papéis é um grande desafio, mas sabemos que é algo realizador. Muitas mulheres despertam para o empreendedorismo após a maternidade e essa escolha envolve empregar o melhor do seu tempo para os filhos, sem perder o compromisso de fazer o negócio dar certo”, conclui a empresária.

 

Linhas de negócios decorrentes da maternidade

Paloma e Joyce, por razões diferentes, encontram na maternidade o impulso para empreender, enxergando oportunidades a partir da experiência materna.

Não são raros casos como esses. Um estudo da Rede Mulher Empreendedora (Empreendedoras e seus Negócios) revela que, em 68% dos casos, a maternidade impulsiona a criação de negócios, a maioria focados nas necessidades de outras mães.

 

De aplicativos para monitorar o sono dos bebês ou controle de mamadas, medicações e vacinas até agências de profissionais, revenda de produtos infantis, cosméticos, alimentos, incluindo aí o público com intolerâncias, como consultorias para compra e montagem de enxovais, para festas e celebrações, dentre muitos.

 

Segundo a gerente de Atendimento e Relacionamento do Sebrae, Hildenê Maia, a percepção de oportunidades nesses nichos é o primeiro passo para a montagem do negócio. A empreendedora precisa se identificar e adquirir o máximo de conhecimento na hora da montagem do empreendimento e trabalhar um plano de negócios que sirva de direcionamento para a empresa nas diversas etapas, definindo muito bem cada passo. O Sebrae oferece uma imensa gama de informações e consultorias para elaboração de Planos de Negócio, além de cursos gratuitos, que ajudam muito nessa caminhada”, explica a gerente.

 

E se você está buscando informações a respeito, o Sebrae organizou o artigo 5 ideias de Negócios para Mães e orientações para mulheres que desejam empreender em casa (Como Montar um Negócio em sua Residência).

 

 

 

 

 

Mais informações:

Assessoria de Imprensa do Sebrae no Maranhão

(98) 3216-6133

 

Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800

Facebook.com/sebraema

Youtube/umcsebraema

Twitter: @Sebrae_Ma

Instagram: @SebraeMaranhao